Sugestoes

Nao deixe de ler: Por cada 100 casamento, ha 70 divorcios &&&&& Epistolaonline deseja a todos Feliz Natal &&&&& Nao temas, estou contigo &&&&&

Wednesday, September 30, 2009

FRAGILIDADES


Minha força não chega à de uma formiga;
Meu peso não ultrapassa o de uma pena.
Todavia,
Não há poder capaz de me destruir,
Não há tempestade que me arraste,
Porque posso todas as coisas
N´Aquele que me fortalece.

Meu coração é macio como manteiga;
Meu corpo mortal tem a consciência da luz duma vela.
Todavia,
Não há sol ardente capaz de me derreter,
Não há de temporal que me apague,
Porque posso todas as coisas
N´Aquele que me fortalece.

Minha estrutura, na escala de valores, ficou no infinitésimo;
Meu raio visual circunscreveu-me num círculo tacanho.
Todavia,
Não há gigante capaz de derrubar,
Não há monte tão alto que eu não enxergue,
Porque posso todas as coisas
N´Aquele que me fortalece.

Minhas mãos são duas folhas de um tronco nu;
Meus pés, fracos caniços partidos.
Todavia,
Não há tufão capaz de me arrancar as folhas,
Não há pedregulho que me possa quebrar os caniços,
Porque posso todas as coisas
N´Aquele que me fortalece.

Gilberto Évora
Fonte: Epistola Nº 10, Vol. 5, Pág. 88, Outubro/1961

No comments:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...